quarta-feira, 27 de julho de 2011

Virtualização no Mac: Parallels x VMware Fusion (e o VirtualBox)

UPDATE: Parallels 8 saiu(faz tempo), e o Fusion 5 também. Esse post já está desatualizado e velhinho.
Nota importante: esse post não é exatamente um review, mas um post para compartilhar minhas impressões e experiências. Vale lembrar também que os softwares podem receber atualizações e novas versões que podem alterar o funcionamento e, portanto, o que eu posso achar deles. 

Como vocês sabem, eu comprei um MacBook Pro. Porém, como muita gente, especialmente profissionais, estudantes e geeks, eu preciso/quero de alguns softwares Windows-only(no meu caso, o compilador de C pra aula de programação, além de brincar com vários OSs, como um bom geek). 
Uma das opções seria usar o Boot Camp, mas não preciso de tanto desempenho e nem quero ficar reiniciando só pra isso. Então, a opção é virtualização.
Os dois principais softwares comerciais de virtualização para Mac OS X são o Parallels Desktop e o VMware Fusion. Além deles existe o VirtualBox, opensource e gratuito.
Inicialmente adquiri o Parallels Desktop 6, licença estudantil(50% de desconto).
Ele é um ótimo software, com integração fantástica entre a VM e o Mac OS X, além de uma interface ótima e bom suporte. Além disso, os reviews sempre escolhem ele ao VMware. Minha única bronca é que com uma VM com 1GB de RAM, ele deixa o Mac OS X bastante lento. 8GB de RAM resolveriam, mas e o $$$?

Mais tarde acabei adquirindo o VMware Fusion 3.1 também(licença de upgrade ou para usuários do Parallels, estudantil).  A interface dele não me agrada tanto, mas é um bom software.

Um detalhe interessante é que ambos possuem modos de instalação expressa de VMs, que permitem digitar o serial(Windows) e alguns outros detalhes antes da instalação sem precisar digitá-los diretamente durante a instalação. Isso poupa tempo e simplifica a instalação.
Assim como o Parallels, o VMware também permite mostrar os ícones dos programas Windows no Dock e até mesmo atribuir programas na VM para abrir arquivos no Mac, além de um modo (Unity no VMware, Coherence no Parallels) que mostra apenas as janelas dos programas Windows, fazendo parecer que rodam nativamente.

O VMware é superior para rodar alguns OSs mais antigos ou meio exóticos, porém, somente o Parallels oferece atualmente aceleração 3D OpenGL, o que permite, por exemplo, o Ubuntu rodar a interface Unity 3D, enquanto o VMware roda apenas o Gnome padrão. Pesa a favor do Parallels também os updates mais constantes. Desde o fim de maio até hoje, o Parallels recebeu uns 3 updates, aprimorando a compatibilidade com o Ubuntu 11.04 na VM e permitindo rodar no Mac OS X Lion,além de correção de bugs. O VMware está na versão 3.1.3 desde maio, e o 3.1.2 saiu em dezembro passado. Vindo de uma empresa com tradição no setor de virtualização, acho lamentável essa escassez de updates para o Fusion, lembrando que tanto o Mac OS X quanto os OSs virtualizáveis recebem updates com frequência, o que pode acabar causando bugs e falhas.

Minha opinião é: se você vai usar Windows ou Ubuntu, e/ou quer garantia de updates constantes, o Parallels Desktop é a melhor opção. Para rodar sistemas mais antigos, tipo Windows 98, o VMware é melhor.

"Correndo por fora" está o VirtualBox. É um software bom, mas com alguns problemas. A aceleração gráfica nele ainda é experimental, não oferece tantos recursos e pode ter alguns problemas. Não testei no Mac OS X, mas no Windows o suporte USB dele é bastante problemático. É uma opção para quem não quer gastar ou quer experimentar. Como vantagens estão updates frequentes e o preço.Se você não faz questão de recursos avançados nem de integração profunda, nem precisa de aceleração 3D, ele pode ser uma boa opção.

Deixe sua opinião ou comentário aí embaixo!